quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

O que você quer da vida?


Sobrinho encontra por acaso uma “cápsula do tempo” deixada pelo tio há 63 anos nas paredes do Hust




Como explicar uma coincidência tão grande? Seria o destino ou obra do acaso? Há 63 anos, quando o Hospital Universitário Santa Terezinha (Hust) estava sendo construído em Joaçaba, o pedreiro Aquelino Vencato escreveu seu nome e a data numa placa metálica e deixou como se fosse uma cápsula do tempo dentro de um buraco, em uma das paredes do hospital. Era dia 15 de julho de 1955. Aquelino faleceu há 4 anos, sem revelar o fato.
Desde então, várias obras foram feitas no hospital, que passou até mesmo por ampliações, mas a placa permanecia no mesmo lugar, totalmente escondida.


A placa com o nome do pedreiro e a data, deixada há 63 anos.

Odonto Vida
Na última terça-feira, dia 24, o gesto feito há tanto tempo teve uma descoberta surpreendente. O sobrinho de Aquelino, Darci Vencato, trabalhava nas reformas do berçário do hospital e teve uma surpresa ao cortar uma das paredes.
“A placa estava no berçário, no segundo andar, onde estamos fazendo uma reforma. Fomos cortar a parede para aumentar a porta, eu tava até quebrando e quando olhei achei aquela plaquinha e para minha surpresa tinha meu sobrenome, Vencatto. Eu disse – Opa! que surpresa! Eu acredito que ele deixou bem no começo das obras, quando estavam para fazer a primeira laje e ergueram a segunda, estava em um tijolo, dentro de um buraco”. Revelou Darci.


De um lado da placa a identificação do destino do material que vinha para as obras do hospital.

A pequena placa metálica tinha em um lado a inscrição da identificação do hospital, sem indicar de onde teria vindo, do outro o nome do pedreiro, a data e novamente seu nome.
“Essa plaqueta vinha presa no ferro, para identificar o destino do material. Como não enferruja ele aproveitou para escrever. Foi escrito em grafite, com lápis de pedreiro e é incrível que o tempo conservou”, explicou Darci.


O buraco onde a placa foi encontrada 63 anos depois de ter sido colocada.

História confirma a coincidência



Foto da época mostra a construção do primeiro piso do hospital.

A família Vencato é de construtores e na década de 50 trabalharam nas obras do hospital, do extinto colégio Cristo Rei e da Catedral Santa Terezinha. Os registros históricos do Hust indicam que a construção teve início em 1946. Durante algum tempo as obras tiveram bom andamento, mas pararam diversas vezes por falta de recursos. Em 1955, data em que Aquelino deixou a placa na parede, Frei Edgar Loers assumiu a presidência e concluiu a construção do primeiro piso. Em 10 de fevereiro de 1957 houve a inauguração. O segundo piso só foi concluído 10 anos depois.
Para quem duvida da coincidência, Darci garante que o tio, que morreu com 80 anos, jamais tocou no assunto com ele. “A gente visitava ele, morava em um sítio, conversávamos, mas ele nunca comentou que tinha guardado alguma coisa dentro do hospital”, aumentando a certeza de que o destino selou a surpresa.
Feliz com a descoberta, o sobrinho pretende levar a placa para a tia, viúva de Aquelino. “Ela tem mais direito que eu, se quiser ficar com a placa vou deixar. Mas só pelo fato de ter feito esta descoberta estou realmente muito feliz”. Encerrou.