terça-feira, 23 de novembro de 2010

Polícia descarta crime no caso de Itá

O delegado de Itá, Marcos Giovani da Silva, concluiu ontem o inquérito envolvendo a morte de Franchteska Marzaroto, 25 anos. O relatório final que será protocolado nesta terça-feira, dia 23, no Fórum da Comarca, revela que não existe uma segunda pessoa envolvida. Além disso, o delegado também descarta a possibilidade de um crime de homicídio ou latrocínio. “Por todo o levantamento feito no local, pelas provas periciais e testemunhais está descartado um fato criminoso”, esclarece.

Segundo Silva, a morte pode ter sido acidental ou provocado pela própria vítima. Na apuração dos fatos o delegado interrogou 16 testemunhas e o inquérito contém cerca de 200 páginas. Marcos Giovani descarta qualquer possibilidade de ato criminoso e sugere ao judiciário o arquivamento do processo. “Na área penal não tem mais o que se apurar, somente se fatos novos vierem a aparecer”, reitera.

Franchteska Marzaroto, 25 anos, morreu no dia 11 de outubro em Itá. O veículo em que ela estava ficou totalmente destruído pelas chamas. O veículo foi incendiado próximo da área central do município de Itá em meio a uma plantação de eucalipto.

Fonte - Rádio Aliança

Nenhum comentário:

Postar um comentário